Skip to Content

Plataforma multi-setorial DRM Brasil - Funcionamento

Objetivos

A Plataforma DRM Brasil foi fundada em primeiro de julho de 2010 com um site e lista de email, e em setembro de 2012 foi refundada como Plataforma multi-setorial DRM Brasil com a missão de auxiliar e dar suporte na implantação do Rádio Digital no Brasil, tendo como foco o aperfeiçoamento do sistema e apoio aos diferentes agentes da radiodifusão sonora no país.

Atribuições

1. Detectar e conciliar os requisitos para implantação da radiodifusão digital no Brasil, estimulando a cooperação entre os diferentes agentes envolvidos: emissoras de rádio, fabricantes de equipamentos de transmissão e recepção, entidades de ensino e pesquisa, indústria de software, instituições financeiras, associações, sociedade civil e Governo. A promoção deste intercâmbio tem como objetivos dois pontos principais: o avanço técnico do sistema e reforçar sua implantação.

2. Manter o intercâmbio com o Consórcio DRM internacional.

3. Assegurar que todos tenham liberdade para participar e colaborar do processo de digitalização do rádio no Brasil.

4. Prover implementações e código de referência aberto e auxiliar na redação de normas e guias sobre o DRMb de forma pública.

5. Transferir conhecimento técnico e burocrático e apoiar soluções para capacitação de recursos humanos.

6. Apoiar a criação de linhas de financiamento voltadas ao radiodifusor e à indústria do ramo.

7. Auxiliar o Governo e a Anatel a definir, gerenciar e aferir as especificações técnicas.

8. Apoiar a divulgação do sistema DRMb no Brasil, América do Sul, África e em outras regiões com ênfase nos países que adotaram o ISDB-Tb.

9. Adequar o rádio digital às necessidades sócio-culturais das diferentes regiões brasileiras, reforçando a democratização do meio de comunicação radiofônico.

10. Assegurar o acesso à tecnologia digital a todos os radiodifusores, independente de tamanho e potência da emissora.

11. Estabelecer pontes entre o Brasil e blocos regionais de modo a fazer com que o Rádio Digital seja uma ferramenta de integração entre os povos. O DRMb pretende ser um sistema que incorpora especificidades regionais porém sempre tendo compatibilidade com o padrão aprovado pela UIT.

12. Garantir que a pesquisa do DRM Brasil seja aberta e publicamente disponível.

Organização Institucional

A partir de 2015 o DRM-Brasil tem uma gestão horizontal organizada em torno do Conselho e suas comissões, sendo as decisões, sempre que possível, tomadas por consenso.

1. Conselho Executivo e Deliberativo

Organizado em comissões, o Conselho Executivo e Deliberativo é responsável por realizar e acompanhar as diretivas estabelecidas como políticas gerais de ação, estratégicas e prioridades.
Também é função do Conselho aprovar o estabelecimento de relações com outras organizações brasileiras e estrangeiras.

Atribuições:

  • 1. Definir ações e prioridades.
  • 2. Estabelecer Metas.
  • 3. Fiscalizar.
  • 4. Aprovar ou rejeitar trabalhos.
  • 5. Deliberar sobre orçamento anual e Patrimônio.

Funcionamento:

  • 1. Membros atuais permitem ou não a entrada de novos membros no Conselho, sempre com a premissa de aumentar a força da defesa da adocão do DRMb no Brasil.

Setores:

  • Indústria de Radiodifusão
  • Indústria de Recepção
  • Indústria de Transmissão
  • Indústria de Software
  • Academia
  • Associações
  • Sociedade Civil

1.1 Comissão de Comunicação e Promoção

  • João Eduardo Ferreira da Silva Filho - Formado em Economia (FAAP - SP), Empresário na área de equipamentos para radiodifusão - Diretor MTA / Digicast Eletrônica
  • Marcelo Goedert - Empresário do setor radiofônico há 26 anos, proprietário da Audio Fidelity Produções. Economista, MBA em Planejamento e Gestão Empresarial, Mestrando em comunicação pela Universidade Católica de Brasília. É o representante do Consórcio DRM no Brasil.
  • Silvio Rhatto - Desenvolvedor de software - silvio (EM) drm-brasil (PONTO) org
  • Thiago Novaes - Cientista Político, Pesquisador em Telecomunicações (TV Digital, Serviços Interativos, Rádio Digital). Mestre em Antropologia pela Unicamp. Doutorando na UnB.

Atribuições:

  • 1. Apresentar e promover o DRMb nos mais diferentes setores da sociedade.
  • 2. Criar um ambiente facilitador de integração e negócios.
  • 3. Agregar, atrair os diferentes agentes estratégicos, associados.
  • 4. Trabalhar para que a plataforma se consolide como uma instituição de ampla credibilidade, conquistando a confiança dos associados e sociedade.
  • 5. Impulsionar a adoção do DRMb por outros países.
  • 6. Trabalhar pela criação de soluções financeiras para todos os setores envolvidos.
  • 7. Servir de conexão entre os setores, facilitar a comunicação entre associados.
  • 8. Incentivar e estabelecer uma ligação da plataforma com a comunidade.

1.2 Comissão Técnica

  • Ataliba Zandomenego Filho Radioamador e Graduando em Engª Elétrica Telemática pela Unisul
  • Claudio S. Del Bianco Radioamador, Tecnólogo e Analista de Sistemas. Especialista em infraestrutura de redes de computadores.
  • Daniel de Andrade Antoniazzi Gerente de Engenharia de Pesquisa e Desenvolvimento na Valeo Sistemas Automotivos, graduado em Engenharia Elétrica pela UNIP (Universidade Paulista) e Pós Graduado em MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV.
  • Iriceu Gerlach Empresário Diretor ORBISONIC Processadores Digitais de Áudio.
  • João Marcos Bertoldi Neto Empresário, Diretor presidente da BT (Broadcast Transmitters)
  • Marcelo Parada Mestre em engenharia eletronica (FEI), professor de engenharia da FEI.
  • Rafael Diniz Bacharel em Ciência da Computação pela Unicamp, mestrando pelo Departamento de Ciência da Computação da PUC-Rio sobre a adaptação do Ginga para o DRM e diretor da SDR Telecom. É ligado ao Consórcio DRM como DRM Supporter. Tel. +55 11 998728111 / Email. rafael (EM) drm-brasil (PONTO) org

Atribuições:

  • 1. Detectar e conciliar os requisitos do sistema.
  • 2. Promover a cooperação entre os diversos setores técnicos envolvidos.
  • 3. Auxiliar o Governo e a Anatel a definir as especificações técnicas.
  • 4. Transferir conhecimento para a comunidade, constituir esforço para que técnicos, radiodifusores e estudantes se familiarizem cada vez mais com o sistema.
  • 5. A Comissão deve agregar conhecimento em RF, Computação (Hardware) e Software. Questões relacionadas a processamento de áudio devem ser incorporadas.
  • 6. Acompanhar os testes que forem realizados pelo Ministério das Comunicações.

1.3 Comissão de Articulação Institucional

  • Carlos Acciari Formado pelo INA (Institut National de l’ Audiovisuel da França) trabalha na Radio France Internationale (RFI) desde 1999 como Coordenador Técnico para a região América no Departamento de Broadcast da Direção de Sistemas e Serviços Informáticos.
  • Nils Brock Jornalista e cientista político. Colabora com mídias livres e comunitarias. Atualmente trabalha como cooperador internacional na AMARC Brasil. Além disso, é doutorando na Universidade Livre de Berlim sob o tema "Legitimação de rádios livres e comunitarias no Brasil".
  • Paulo José O. M. Lara Sociólogo e Cientista Político, Mestre em Sociologia da Cultura pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorando em Cultural Studies pela Goldsmiths College - University of London. Atualmente é consultor de Comunicação e Cultura do Ministério da Cultura.

Atribuições:

  • 1. Apresentar o DRM para as mais variadas Instituições, atenção com representações de cunho social.
  • 2. Estreitar laços com instituições independentemente de terem relação direta com a radiodifusão.
  • 3. Escutar grupos independentes nos mais variados segmentos, software livre, culturais, acadêmicos, radioamadores e etc.
  • 4. Democratizar o acesso à tecnologia encontrando soluções para grupos de menor poder econômico.
  • 5. Firmar elo entre o DRM Brasil e a sociedade civil.

Também é função do Conselho Deliberativo aprovar o estabelecimento de relações com outras organizações brasileiras e estrangeiras.

2. Associados

Associação livre (pessoas físicas e jurídicas) conforme os Termos de participação nas seguintes modalidades:

  • Associado Pleno: Acesso completo a banco de dados de informações estratégicas, consultoria e possibilidade de uso de logotipo de associado.
  • Associado Apoiador: Acesso ao banco de dados de informações estratégicas e possibilidade de uso para o logotipo de apoiador.


X